CRMV-RS
CRMV-RS


Campanhas para evitar o abandono de animais ganharão o Estado
02-12-2019

Fim de ano nas estradas é sinônimo de férias, festas e descanso, mas, também, de abandono de animais. É comum ver as portas dos carros serem abertas para deixar o pet no acostamento, e os motivos apontados são inúmeros: a família não tem com quem deixar o bichinho, ele cresceu mais do que imaginavam ou não conseguem arcar com os gastos envolvidos. Não importa o motivo: abandonar animais é crime previsto em lei, com reclusão. “Somente com a guarda responsável é possível evitar esse ato que, além de criminoso, é muito cruel”, destaca Lisandra Dornelles, presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS), ao anunciar que as campanhas “Dezembro Verdade – Não me deixe pra trás agora” e “Guarda Responsável – Eu sou uma vida” chegarão até à sociedade em uma ação orientativa com o patrocínio da Supra e apoio do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Estado do Rio Grande do Sul (Sulpetro).

 

No dia 19 de dezembro, em postos de gasolina espalhados por diversos municípios gaúchos, o flyer com as principais dicas elaboradas por médicos veterinários e zootecnistas para tomar uma decisão responsável de levar um bichinho será distribuído à população. As peças gráficas das campanhas que detalham essas dicas estão disponíveis para download gratuito em www.crmvrs.gov.br/campanhas.php, em formatos A4, para impressão, e para compartilhar nas redes sociais.

 

O objetivo do CRMV-RS é auxiliar na tomada de decisão para que a compra ou adoção sejam feitas com comprometimento. As campanhas são complementares e abordam deveres e responsabilidades que o tutor deve ter com o animal, incluindo alimentação, cuidados com a saúde, lazer, higiene e assistência veterinária, entre outros. Ao decidir por ter um bichinho de estimação, é preciso ter em mente quem poderá cuidar dele em períodos de ausência, como férias e viagens. Também devem ser apontadas as despesas que um novo membro da família trará. Um animal, de acordo com a espécie, pode viver de 2 a 80 anos e, conforme envelhece, tende a desenvolver doenças cujo o tratamento, às vezes, requer altos custos.

 

É fundamental oferecer comida de qualidade, água fresca e abrigo. Vacinação, castração, higiene e combate a parasitas são essenciais, especialmente para cães e gatos. E, tudo isso, sem esquecer que é preciso dedicar tempo proporcional às necessidades da espécie, e que amor e carinho garantem o bom desenvolvimento dos bichinhos. Estar ciente das necessidades físicas, hábitos, temperamento e porte da espécie facilita na escolha de um pet que combine com o estilo de vida da família.

 

Cães e gatos que vivem nas ruas ficam sujeitos a desenvolver uma série de doenças em função da desnutrição e do próprio ambiente. Também estão vulneráveis aos maus-tratos e métodos violentos de controle populacional, como o uso indiscriminado de medicamento hormonal inibidor de cio canino e felino sem prévia análise clínica de um médico veterinário. “Quem causa sofrimento aos animais está afetando o equilíbrio da saúde única: humana, animal e ambiental”, explica Lisandra. Em meio aos perigos compartilhados entre animais negligenciados e seres humanos, um dos principais é o vírus da raiva. A Associação Mundial Veterinária (WVA, na sigla em inglês) estima que quase 60 mil pessoas morrem todos os anos após contrair o vírus da raiva por meio da mordida de cachorros infectados.

 

E não são apenas cães e gatos vítimas desses crimes, embora sejam a maioria – de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 44,3% dos domicílios do País possuíam pelo menos um cachorro e 17,7% possuíam pelo menos um gato, dados referentes a 2013. São inúmeras as espécies que recebem um lar e depois são descartados em qualquer lugar, desde animais exóticos, como macacos, répteis e pássaros, roedores e até mesmo equinos e bovinos.

 

Adote uma vida para alegrar a sua

 

O espaço Adote uma vida para alegrar a sua (www.crmvrs.gov.br/adote_uma_vida.php), que integra a campanha Guarda Responsável, é um canal do CRMV-RS para auxiliar na adoção de animais. Pode participar, gratuitamente, toda pessoa que tiver um animal de qualquer espécie para doação. Basta preencher o formulário no botão Quero doar. O anúncio ficará disponível por 6 meses e poderá ser recadastrado. Quem está em busca de um pet pode conferir o perfil completo dos candidatos a um novo lar e dicas importantes de como estar preparado para ter um outro morador na casa.

 

Como agir em caso de abandono

 

Denunciar e evitar o abandono de animais são obrigações legais de todo cidadão, mas, mesmo assim, muitos deles são deixados ao relento. Ao encontrar um bichinho, ajude-o! Você pode capturá-lo em uma caixa de transporte, com os devidos cuidados se ele estiver com medo, arisco ou assustado. Abrigue-o em um local reservado em casa para que ele não tenha contato com seus pets até que passe por uma consulta veterinária. Se não tiver como ficar com ele, busque uma adoção responsável.

 

Maus-tratos e abandono são crimes

 

Denúncias de maus-tratos e abandono devem ser feitas em delegacias da Polícia Civil, Ministério Público, secretarias de meio ambiente estaduais e municipais e Ibama (em casos de animais selvagens, silvestres e espécies exóticas). Se a pessoa envolvida for médico veterinário ou zootecnista, procure o CRMV ou CFMV.

 

Assessoria de Comunicação do CRMV-RS

Cristine Pires (jornalista MTB-RS 7847)

Amanda Porterolla (designer gráfico)

Rafaela Santos (estagiária de Jornalismo)

Contatos: (51) 2104-0577





Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul
Rua Ramiro Barcelos, 1793/201 - B. Bom Fim - Porto Alegre/RS - CEP: 90035-006
Fone:(51) 21040566 - crmvrs@crmvrs.gov.br